DPOC

A doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) caracteriza-se pela inflamação e diminuição do calibre das vias aéreas (bronquite crónica) e destruição do tecido pulmonar (enfisema), provocando tosse, expectoração e cansaço para os esforços.

A maior parte dos sintomas das DPOC devem-se aos seus efeitos sobre os brônquios, mas existem também efeitos negativos sobre o coração, os vasos sanguíneos pulmonares e massa muscular. Diagnostica-se com recurso a uma espirometria, que mostra uma diminuição do fluxo respiratório na expiração.

A principal causa é o tabagismo, no entanto é também possível ocorrer em não fumadores expostos a poluentes, poeiras ambientais e químicos inalados. Raramente, existem casos de susceptibilidade hereditária, por deficiência genética de uma enzima, a alfa 1-antitripsina.

A DPOC não tem cura, mas tem terapêutica eficaz na prevenção de crises (exacerbações) e na melhoria dos sintomas e qualidade de vida. A base do tratamento são os inaladores contendo broncodilatadores e anti-inflamatórios.

Em situações graves, pode ser necessária a utilização de oxigénio, seja por curtos períodos, por exemplo durante uma exacerbação, ou de forma contínua nos casos de insuficiência respiratória crónica.

A melhor forma de prevenir a DPOC é evitar o fumo do tabaco, utilizar protecção respiratória, como uma máscara de protecção se existir exposição a poeiras de origem profissional ou domiliária, e prevenção de infecções respiratórias, nomeadamente através da vacinação adequada de acordo com as normas vigentes.

Corpo Clínico Associado: