Fibrose Pulmonar

A fibrose pulmonar é o resultado final de um grupo heterogéneo de doenças pulmonares difusas, decorrendo de uma combinação de processos inflamatórios e de cicatrização anómalos, auto-perpetuados e progressivos.

Nestas condições, o pulmão torna-se mais “rijo” e difícil de expandir com a respiração, ao mesmo tempo que a membrana no pulmão que absorve o oxigénio se torna mais espessa, resultando em cansaço crescente e insuficiência respiratória.

Algumas destas patologias têm causa conhecida — por exemplo, relacionadas com tabagismo, exposição a partículas ambientais e auto-imunidade — enquanto outras não têm causa directa reconhecida, como é o caso da fibrose pulmonar idiopática, que se posiciona no extremo de maior gravidade.

A evolução destas doenças é geralmente crónica, podendo em certos casos estabilizar, ou até melhorar, com o tratamento da causa subjacente e/ou com imunossupressão, enquanto que nos casos de carácter mais fibrótico e progressivo está indicado realizar terapêutica específica com fármacos antifibróticos.

O diagnóstico e tratamento da fibrose pulmonar exigem uma abordagem altamente especializada e multidisciplinar, na qual a intervenção precoce tem importância central para melhorar o seu prognóstico.

Corpo Clínico Associado: